Funções de Estatística - Parte Cinco

From LibreOffice Help
Jump to: navigation, search

Contents

DIST.WEIBULL

Devolve os valores da distribuição Weibull.

A distribuição Weibull é uma distribuição de probabilidade contínua, com parâmetros alfa > 0 (forma) e beta > 0 (escala).

Se C for 0, WEIBULL calcula a função de densidade da probabilidade.

Se C for 1, DIST.WEIBULL calcula a função de distribuição cumulativa.

Sintaxe

DIST.WEIBULL(número; alfa; beta; cumulativo)

número é o valor para o qual se pretende calcular a distribuição Weibull.

alfa é o parâmetro alfa da distribuição Weibull.

beta é o parâmetro beta da distribuição Weibull.

cumulativo indica o tipo de função.

Exemplo

=DIST.WEIBULL(2;1;1;1) devolve 0,8646647168.

Consulte também a página Wiki.

WEIBULL

Devolve os valores da distribuição Weibull.

A distribuição Weibull é uma distribuição de probabilidade contínua, com parâmetros alfa > 0 (forma) e beta > 0 (escala).

Se C for 0, WEIBULL calcula a função de densidade da probabilidade.

Se C for 1, WEIBULL calcula a função de distribuição cumulativa.

Sintaxe

WEIBULL(número; alfa; beta; cumulativo)

número é o valor para o qual se pretende calcular a distribuição Weibull.

alfa é o parâmetro alfa da distribuição Weibull.

beta é o parâmetro beta da distribuição Weibull.

cumulativo indica o tipo de função.

Exemplo

=WEIBULL(2;1;1;1) devolve 0,86.

Consulte também a página Wiki.

VARPA

Calcula a variância com base na população. O valor do texto corresponde a 0.

Sintaxe

VARPA(valor1;valor2;...valor30)

valor1;valor2;...valor30 correspondem a valores ou intervalos representativos da população.

Exemplo

=VARPA(A1:A50)

VARP

Calcula a variância com base na população.

Sintaxe

VARP(número1; número2; ...número30)

número1; número2; ...número30 são de 1 até 30 argumentos numéricos ou intervalos representativos da população.

Exemplo

=VARP(A1:A50)

VAR.S

Calcula a variância com base numa amostra.

Sintaxe

VAR.S(número1; número2; ...número30)

número 1, número 2, ...número 30 são de 1 até 30 argumentos numéricos representativos da amostra da população.

Exemplo

=VAR.S(A1:A50)

VAR.P

Calcula a variância com base na população.

Sintaxe

VAR.P(número1; número2; ...número30)

número 1, número 2, ...número 30 são de 1 até 30 argumentos numéricos representativos da população.

Exemplo

=VAR.P(A1:A50)

VARA

Devolve uma estimativa da variância com base numa amostra. O valor do texto corresponde a 0.

Sintaxe

VARA(valor1;valor2;...valor30)

valor1;valor2;...valor30 correspondem a valores ou intervalos que representam uma amostra retirada de uma população. O texto tem o valor 0.

Exemplo

=VARA(A1:A50)

VAR

Devolve uma estimativa da variância com base numa amostra.

Sintaxe

VAR(número1; número2; ...número30)

número1; número2; ...número30 são os valores ou intervalos numéricos que representam uma amostra aleatória da população.

Exemplo

=VAR(A1:A50)

TESTET

Devolve a probabilidade associada ao Teste T de Student.

Sintaxe

TESTET(dados_1; dados_2; caudas; tipo)

dados_1 corresponde à matriz ou intervalo de dados dependente para o primeiro registo.

dados_2 corresponde à matriz ou intervalo de dados dependente para o segundo registo.

Para caudas = 1 calcula o teste unilateral e para caudas = 2 calcula o teste bilateral.

tipo é o tipo de teste T que se pretende executar. O tipo 1 corresponde ao teste emparelhado. O tipo 2 corresponde a um teste com duas amostras com variância igual (homoscedástico). O tipo 3 corresponde a um teste com duas amostras com variância distinta (heteroscedástico).

Exemplo

=TESTET(A1:A50;B1:B50;2;2)

INVT

Devolve o inverso da distribuição T.

Sintaxe

INVT(número; graus_liberdade)

número é a probabilidade associada à distribuição T bilateral.

graus_liberdade são os graus de liberdade da distribuição T.

Exemplo

=INVT(0,1;6) devolve 1,94

TESTE.T

Devolve a probabilidade associada à distribuição t de Student.

Sintaxe

TESTE.T(dados_1; dados_2; modo; tipo)

dados_1 é a primeira matriz ou intervalo de dados.

dados_2 é a segunda matriz ou intervalo de dados.

Para modo=1 calcula o teste unicaudal e para modo=2 calcula o teste bicaudal.

tipo é o tipo de teste a realizar. Se tipo = 1 o teste é emparelhado, se teste =2 o teste e para duas amostras de variância igual e se tipo = 3 o teste é para duas amostras com variância diferente.

Exemplo

=TESTE.T(A1:A50;B1:B50;2;2)

INV.T.2C

Dvolve o inverso bicaudal da distribuição t de Student, utilizada frequentemente para testar hipóteses em pequenos conjuntos de dados.

Sintaxe

INV.T.2C(número; graus_liberdade)

número é a probabilidade associada à distribuição.

graus_liberdade são os graus de liberdade da distribuição.

Exemplo

=INV.T.2C(0,25; 10) devolve 1,221255395.

INV.T

Devolve o inverso unilateral à esquerda da distribuição t de Student.

Sintaxe

INV.T(número; graus_liberdade)

número é o valor para o qual se pretende calcular o inverso da distribuição t de Student.

graus_liberdade são os graus de liberdade da distribuição t de Student.

Exemplo

=INV.T(0,1;6) devolve -1,4397557473.

DIST.T.DIR

Devolve a distribuição t de Student unilateral à direita, utilizada frequentemente para testar hipóteses em pequenos conjuntos de dados.

Sintaxe

DIST.T.DIR(número; graus_liberdade)

número é o valor para o qual se pretende calcular a distribuição.

graus_liberdade são os graus de liberdade da distribuição.

Exemplo

=DIST.T.DIR(1; 10) devolve 0,1704465662.

DIST.T.2C

Devolve a distribuição t de Student bicaudal, utilizada frequentemente para testar hipóteses em pequenos conjuntos de dados.

Sintaxe

DIST.T.2C(número; graus_liberdade)

número é o valor para o qual se pretende calcular a distribuição.

graus_liberdade são os graus de liberdade da distribuição.

Exemplo

=DIST.T.2C(1; 10) devolve 0,3408931323.

DIST.T

Devolve a probabilidade associada à distribuição t de Student.

Sintaxe

DIST.T(número; graus_liberdade; cumulativo)

número é o valor para o qual se pretende calcular a distribuição.

graus_liberdade são os graus de liberdade da distribuição.

Para cumulativo=0 ou falso calcula a função de densidade e para cumulativo=1 ou verdadeiro devolve a função de distribuição.

Exemplo

=DIST.T(1; 10; VERDADEIRO) devolve 0,8295534338.

DISTT

Devolve a distribuição t de Student.

Sintaxe

DISTT(número; graus_liberdade; modo)

número é o valor em relação ao qual se pretende calcular a distribuição t de Student.

graus_liberdade são o graus de liberdade da distribuição T.

modo = 1 devolve o teste unilateral e modo = 2 devolve o teste bilateral.

Exemplo

=DISTT(12;5;1)

EPADYX

Devolve o erro padrão do valor y previsto para cada valor x na regressão.

Sintaxe

EPADYX(dados_y; dados_x)

dados_y corresponde à matriz dos dados Y.

dados_x corresponde à matriz de dados X.

Exemplo

=EPADYX(A1:A50;B1:B50)

DESVPADPA

Calcula o desvio padrão com base na população.

Sintaxe

DESVPADPA(valor1;valor2;...valor30)

valor1, valor2...valor30 são valores numéricos ou intervalos representativos da população. Ao texto é atribuído o valor 0.

Exemplo

=DESVPADPA(A1:A50) devolve o desvio padrão dos dados referenciados.

DESVPADP

Calcula o desvio padrão com base na população.

Sintaxe

DESVPADP(número1; número2; ...número30)

número1; número2; ...número30 são de 1 até 30 argumentos numéricos ou intervalos representativos da população.

Exemplo

=DESVPADP(A1:A50) devolve um desvio padrão dos dados referenciados.

DESVPAD.S

Calcula o desvio padrão a partir de uma amostra da população.

Sintaxe

DESVPAD.S(número1;número2;...número30)

número1; número2; ...número30 são de 1 até 30 argumentos numéricos ou intervalos representativos da amostra.

Exemplo

=DESVPAD.S(A1:A50) devolve o desvio padrão dos dados referenciados.

DESVPAD.P

Calcula o desvio padrão a partir da população.

Sintaxe

DESVPAD.P(número1;número2;...número30)

número1; número2; ...número30 são de 1 até 30 argumentos numéricos ou intervalos representativos da população.

Exemplo

=DESVPAD.P(A1:A50) devolve o desvio padrão dos dados referenciados.

DESVPADA

Calcula o desvio padrão de uma estimativa baseada numa amostra.

Sintaxe

DESVPADA(valor1;valor2;...valor30)

valor1, valor2,...valor30 correspondem a valores ou intervalos que representam uma amostra retirada de uma população. O texto tem o valor 0.

Exemplo

=DESVPADA(A1:A50) devolve o desvio padrão estimado com base nos dados referenciados.

DESVPAD

Estima o desvio padrão com base numa amostra.

Sintaxe

DESVPAD(número1; número2; ...número30)

número1, número2,...número30 são os intervalos ou argumentos numéricos que representam uma amostra aleatória.

Exemplo

=DESVPAD(A1:A50) devolve o desvio padrão estimado com base nos dados referenciados.

NORMALIZAR

Converte uma variável aleatória num valor normalizado.

Sintaxe

NORMALIZAR(número; média; desv_padrão)

número é o valor a ser normalizado.

média: é o valor médio da distribuição.

desv_padrão é o devio padrão da distribuição.

Exemplo

=NORMALIZAR(11;10;1) devolve 1. O valor 11 numa distribuição normal com uma média de 10 e um desvio padrão de 1 está tão acima da média de 10 como o valor 1 está acima da média da distribuição normal padrão.

DECLIVE

Devolve o declive da linha de regressão linear. O declive adapta-se aos pontos de dados determinados para os valores de y e x.

Sintaxe

DECLIVE(dados_y; dados_x)

dados_y corresponde à matriz dos dados Y.

dados_x corresponde à matriz de dados X.

Exemplo

=DECLIVE(A1:A50;B1:B50)

ANO

Calculates the skewness of a distribution using the population of a random variable.

DISTORÇÃO(número1; número2; ...número30)

número1; número2; ...número30 são de 1 até 30 valores numéricos ou intervalos cuja distorção se pretende calcular.

Calculates the skewness of a distribution using the population, i.e. the possible outcomes, of a random variable. The sequence shall contain three numbers at least.

SKEWP(2;3;1;6;8;5) returns 0.2828158928

SKEWP(A1:A6) returns 0.2828158928, when the range A1:A6 contains {2;3;1;6;8;5}

SKEWP(Number1;Number2) returns zero always, if Number1 and Number2 results in two numbers.

SKEWP(Number1) returns Err:502 (Invalid argument) if Number1 results in one number, because SKEWP cannot be calculated with one value.

DISTORÇÃO

Devolve o valor da assimetria de uma distribuição.

Sintaxe

DISTORÇÃO(número1; número2; ...número30)

número1; número2; ...número30 são de 1 até 30 valores numéricos ou intervalos cuja distorção se pretende calcular.

Exemplo

=DISTORÇÃO(A1:A50) calcula o valor de assimetria dos dados referenciados.

ORDEM.EQ

Devolve a ordem de um número, dentro da matriz ou intervalo de dados. Se existirem valores duplicados, é devolvida a ordem superior.

Note.png A diferença entre ORDEM.MÉD e ORDEM.EQ ocorre quando existem dados duplicados na lista de valores. A função ORDEM.EQ devolve o valor com maior ordem e a função ORDEM.MÉD devolve a ordem média.

Sintaxe

ORDEM.EQ(valor; dados; tipo)

valor é o valor para o qual se pretende determinar a posição.

dados é a matriz ou intervalo de dados da amostra.

tipo (opcional) é a ordem da sequência.

Tipo = 0 significa descendente, do último item de matriz para o primeiro (padrão).

Tipo = 1 significa ascendente, do primeiro item de intervalo para o último.

Exemplo

=ORDEM.EQ(A10;A1:A50) devolve a ordem do valor da célula A10 no intervalo de valores A1:A50. Se valor não existir no intervalo, devolve uma mensagem de erro.

ORDEM.MÉD

Devolve a ordem de um número numa matriz ou intervalo de dados.Se existirem valores duplicados, devolve a ordem média.

Note.png A diferença entre ORDEM.MÉD e ORDEM.EQ ocorre quando existem dados duplicados na lista de valores. A função ORDEM.EQ devolve o valor com maior ordem e a função ORDEM.MÉD devolve a ordem média.

Sintaxe

ORDEM.MÉD(valor; dados; tipo)

valor é o valor para o qual se pretende determinar a posição.

dados é a matriz ou intervalo de dados da amostra.

tipo (opcional) é a ordem da sequência.

Tipo = 0 significa descendente, do último item de intervalo para o primeiro (padrão).

Tipo = 1 significa ascendente, do primeiro item de intervalo para o último.

Exemplo

=ORDEM.MÉD(A10;A1:A50) devolve a ordem do valor da célula A10 no intervalo de valores A1:A50. Se valor não existir no intervalo, devolve uma mensagem de erro.

ORDEM

Devolve a posição de um número numa amostra de dados.

Sintaxe

ORDEM(valor; dados; tipo)

valor é o valor para o qual se pretende determinar a posição.

dados é a matriz ou intervalo de dados da amostra.

tipo (opcional) é a ordem da sequência.

Tipo = 0 significa descendente, do último item de matriz para o primeiro (padrão)

Tipo = 1 significa ascendente, do primeiro item de intervalo para o último.

Exemplo

=ORDEM(A10;A1:A50) devolve a ordem do valor em A10 no intervalo de valores A1:A50. Se o valor não existir no intervalo, é mostrada uma mensagem de erro.

PROB

Devolve a probabilidade de os valores de um intervalo se encontrarem entre dois limites. Se não existir qualquer limite_superior, esta função calcula a probabilidade com base no princípio de que os valores de matriz_dados são iguais ao valor do limite_inferior.

Sintaxe

PROB(matriz_dados; probabilidade; limite_inferior; limite_superior)

matriz_dados é a matriz de dados da amostra.

probabilidade é a matriz ou intervalo das probabilidades correspondentes.

limite_inferior é o limite inferior do intervalo cuja probabilidade se pretende clacular.

limite_superior (opcional) corresponde ao valor final do intervalo cujas probabilidades se pretende somar. Se este parâmetro não estiver presente, é calculada a probabilidade para o valor limite_inferior.

Exemplo

=PROB(A1:A50;B1:B50;50;60) devolve a probabilidade com que um valor no intervalo A1:A50 também se encontra nos limites entre 50 e 60. Todos os valores compreendidos no intervalo A1:A50 têm uma probabilidade de se encontrar no intervalo B1:B50.

PERMUTAR.R

Devolve o número de permutas para um determinado número de objetos (com repetição).

Sintaxe

PERMUTAR.R(número_1; número_2)

número_1 é o número total de objetos.

número_2 é o número de objetos em cada permuta.

Exemplo

Com que frequência são selecionados 2 objetos de um total de 11 objetos?

=PERMUTAR.R(11;2) devolve 121.

=PERMUTAR.R(6;3) devolve 216. Existem 216 possibilidades de se colocar uma sequência de 3 cartas de um conjunto de seis, se cada carta for devolvida antes de escolher a carta seguinte.

PERMUTAR

Devolve o número de permutas para um determinado número de objetos (sem repetição).

Sintaxe

PERMUTAR(número_1;número_2)

número_1 é o número total de objetos.

número_2 é o número de objetos em cada permuta.

Exemplo

=PERMUTAR(6;3) devolve 120. Existem 120 possibilidades de escolher uma sequência de 3 cartas de entre um conjunto de 6.

INV.NORMP

Devolve o inverso da distribuição cumulativa normal padrão.

Sintaxe

INV.NORMP(probabilidade)

probabilidade é a probabilidade associada à distribuição normal.

Exemplo

=INV.NORMP(0,908789) devolve 1,3333.

DIST.NORMP

Devolve a função de distribuição cumulativa normal padrão. A distribuição têm uma média de zero e um desvio padrão de um.

São equivalentes GAUSS(x)=DIST.NORMP(x)-0,5

Sintaxe

DIST.NORMP(número)

número corresponde ao valor em relação ao qual se pretende calcular a distribuição cumulativa normal padrão.

Exemplo

=DIST.NORMP(1) devolve 0,84. A área abaixo da curva de distribuição normal padrão à esquerda do valor X=1 corresponde a 84% da área total.

INV.S.NORM

Devolve o inverso da distribuição cumulativa normal padrão.

Sintaxe

INV.S.NORM(probabilidade)

probabilidade é a probabilidade associada à distribuição normal.

Exemplo

=INV.S.NORM(0,908789) devolve 1,333334673.

DIST.S.NORM

Devolve os valores da função de distribuição normal cumulativa. A distribuição tem uma média de zero e um desvio padrão de um.

Sintaxe

DIST.S.NORM(número; cumulativo)

número é o valor para o qual se pretende calcular a distribuição.

Para cumulativo=0 ou falso calcula a função de densidade e para cumulativo=1 ou verdadeiro devolve a função de distribuição.

Exemplos

=DIST.S.NORM(1;0) devolve 0,2419707245.

=DIST.S.NORM(1;1) devolve 0,8413447461. A área abaixo da curva da distribuição normal à esquerda do valor X = 1 é 84% da área total.

PREVISÃO.LINEAR

Faz uma extrapolação de valores futuros com base em valores x e y existentes.

Sintaxe

PREVISÃO(x; dados_y; dados_x)

x é o valor x para o qual deve ser devolvido o valor y na regressão linear.

dados_y corresponde à matriz ou intervalo de valores y conhecidos.

dados_x corresponde à matriz ou intervalo de valores x conhecidos.

Exemplo

=PREVISÃO.LINEAR(50;A1:A50;B1;B50) devolve o valor Y esperado para o valor X igual a 50, se os valores X e Y em ambas as referências estiverem associadas por uma tendência linear.

PREVISÃO

Faz uma extrapolação de valores futuros com base em valores x e y existentes.

Sintaxe

PREVISÃO(x; dados_y; dados_x)

x é o valor x para o qual deve ser devolvido o valor y na regressão linear.

dados_y corresponde à matriz ou intervalo de valores y conhecidos.

dados_x corresponde à matriz ou intervalo de valores x conhecidos.

Exemplo

=PREVISÃO(50;A1:A50;B1;B50) devolve o valor Y esperado para o valor X igual a 50, se os valores X e Y em ambas as referências estiverem associadas por uma tendência linear.

DESVQ

Devolve a soma dos quadrados dos desvios baseados na média de uma amostra.

Sintaxe

DESVQ(número1; número2; ...número30)

número1,número 2,...número30 são os intervalos ou argumentos numéricos que representam uma amostra aleatória de distribuição.

Exemplo

=DESVQ(A1:A50)


Related Topics

Funções do Calc por categoria no wiki do LibreOffice